RECEITA FEDERAL – Onde a soberba e a incompetência habitam

Em todas as instâncias da República, os seus dirigentes, dentro da sua zona de conforto, preferem criar novos impostos que cobrar o devido. A pauta do governo deveria ser promover o bem-estar de seu povo, sem mágica e para isto simplesmente deveria os cobrar a impostos devidos.

A proposta tributária do nosso partido é a de criar e implantar de forma pétrea o Imposto Único, cobrando na fonte, em conjuntos com os tributos Estaduais e Municipais. Esta equação acaba com a evasão de renda, aumentará a arrecadação aliviando a carga tributária hoje insuportável e impossível de se compreender, inviabilizando a sua cobrança.

Inicialmente, após diversos cálculos por nossos técnicos, os percentuais ficarão assim; federal 1%, estaduais 1,5% e Municipal 2,5% totalizando o total de 5%.

Todas as taxas, encargos e tributos de todas as instâncias serão cobradas antecipadas na fonte e transferidas em tempo real, para o credor.

Todas as pessoas físicas ou jurídicas deverão pagar imposto de renda, sem exceção, as que se autodeclararem incapazes, ficarão inscritas na dívida ativa da União no valor de R$ 12,00 por ano.

Findando o ciclo da incompetência, a partir do fim da declaração de renda.

O estado, ao exigir a declaração de renda, reconhece e comprova que não tem nenhuma capacidade de gestão administrativa (compliance).