MANIFESTO AOS INVISÍVEIS

HISTÓRIA

Derrama – O descobrimento do Brasil pelos portugueses tinha um só objetivo, subtrair todas as nossas riquezas possíveis. Ao contrário dos britânicos, que em suas colônias aplicava o princípio desenvolvimentista.

Brasil Colonial – Instalado a corte e com a chegada de seus vassalos, os incompetentes dirigentes não conseguiam sequer administrar o quinto. Sendo assim nasce a corrupção fruto da incompetência pública ou privada. Fica forjada por séculos, assim, em nossa cultura estes dois paradigmas.

Corrupção e incompetência ainda precisavam ainda de um catalizador e Portugal marcou o Brasil e que até hoje o é, um país burocrático.

Observemos que já no império, o Brasil se tornara mais rico que Portugal. Tanta riqueza e a derrama que testemunhamos até hoje não conseguem quebrar a banca, da República Federativa do Brasil, pelo contrário, uma vez que hoje Portugal e Grécia dois impérios do passado, hoje são os países mais pobres da Europa.

Republica –Instaurada a república, está cambaleante, até hoje divide-se, entre governantes militares e aculturados civis, pois não conseguiram consolidar o sistema de governo. Um embrido de gestão militar com democratismo e a burocracia de Portugal ainda muito presente. Nossos dirigentes não conseguem entender que a republica antes de mais nada não é a dono do solo, mas sim apenas representante dos Estados Federados.

Estado Novo -Mais um golpe a democracia que já não existia de fato, agora surrupiada da legitimidade, inunda-se na corrupção mais uma vez chegando ao suicídio de Getúlio Vargas. A grande de obra Getúlio, e única, nunca surtiu o efeito desejado, a carteira de trabalho representa o maior desastre do desenvolvimento e um engodo aos trabalhadores do Brasil.

Revolução de 1964 – A revolução usurpou da jovem democracia a chance de se restabelecer. Com obras não acabadas até hoje (transamazônica) e uma visão desenvolvimentista míope, os militares se chafurdaram na corrupção, até que o clamor popular (diretas já), tomou o destino mais uma vez na direção do Capitalismo, sem as medidas necessárias para o acesso de todos.  

Democratismo – A democracia da má fé, onde tudo parece que é possível e que as liberdades estão garantidas, mais uma vez, transforma-se em engodos (o voto obrigatório, a declaração de imposto de renda e o próprio SUS), em seus nascedouros já foram criadas perversamente para não dar certo.

Mas ainda assim, a democracia consegue se sustentar, como uma obra não acabada e isto é normal, produzindo sustos, amparado por uma constituição equivocada (se lermos os currículos de quem as fez, chega a dar pena dos brasileiros de boa-fé, que são submetidos a esta). Quando o desembargador Joaquim Barbosa rasgou a constituição no plenário, fechando a tampa do caixão daquela instituição que mais parece uma casa de tolerância, com ou sem hermenêutica.

REALIDADE CONTEMPORANEA

Durante a toda a República, tentativas ainda que frustradas, criaram personalidades que renova a fé na República e na Democracia. Dignos de registros:

Juscelino Kubitschek (demostrou ao construir Brasília uma capacidade inegável de mobilização da sociedade e pratica política).

O governo militar, com toda a corrupção existente e uma falta de visão empresarial, também demonstrou que o Brasil pode ser grandioso com ou sem a bola rolando e observemos que éramos apenas noventa milhões em ação. 

Fernando Collor de Mello (com algumas poucas canetadas, inseriu de vez o Brasil no capitalismo moderno, ainda com poucas regras, além de afastar de vez a tendência comunista e todos os outros ismos). Fernando Henrique Cardoso (deu continuidade na obra de Fernando Collor estabilizando a inflação).

Luiz Inácio o Lula não conseguiu sequer, fazer a transposição do Rio São Francisco, uma catástrofe corrupta e inconsequente quase nos atira a uma crise institucional que poderia nos levar ao retrocesso democrático).

Jair Messias Bolsonaro (por um acidente de palavras bem empregadas, chegou ao governo sem um projeto, convocando generais de pijama incompetentes e até esta data, tem um governo desastroso com ou sem fogo amigo).

Lembremo-nos que Bolsonaro foi deputado federal por 27 longos anos apresentado apenas dois projetos: um tratava da mudança de nome para os transgêneros e o outro obrigando as pessoas a ficarem em pé quando estiar-se a bandeira nacional (coisa de milico confundindo-se educação com imposição. Lamentavelmente não teve nestes 27 anos tempo para elaborar um “Projeto de Nação”, pois nem ele mesmo acreditava, que ganharia a eleição.

PROJETO DE NAÇÃO

Para um partido político que almeja cargo maior da Nação (presidência da república), e por que este cargo, pois somente este, tem a possibilidade de convocar a sociedade, para deliberar sobre as mudanças estruturais necessárias para o desenvolvimento.

Apresentar um Projeto de Nação, que oriente seus: militantes, partidários, simpatizantes e parte da sociedade em alinhamento com este projeto, para uma correta direção é o primeiro passo para o convencimento de todos.

O projeto não pode se furtar de ousar em querer mudar a estrutura da regimental da Nação, considerando o PERFIL VOCACIONAL DO BRASIL(somos ordeiros, com um grande agronegócio, um parque indústria invejável, matéria prima farta, capacidade humana, um clima excelente e um povo com a mão domável e com a sede do saber).

O que nos falta são as testemunhas (os marcos filosóficos) que encontramos na interpretação exemplar das palavras: DIGNIFICANTE E EFICIENCIA. Estas tornam-se os pilares de uma reengenharia da gestão pública que hoje não existe.

Toda a estrutura governamental está contaminada pela falta de honra e incompetência generalizada. Observemos que a corrupção identificada, já alcança todos os poderes: Legislativo, Judiciário e Executivo. Qualquer ação corretiva empaca na hermenêutica do supremo e na garganta profunda do Legislativo. O executivo torna-se então o Algoz e a própria Vítima.

Com o politicamente correto enterrado, e a internet acordada com todos os cidadãos brasileiros (agora duzentos e vinte milhões), vigilantes cibernéticos a vontade desta maioria orientada; nos autoriza a sonhar que o Brasil tem jeito.

O projeto a ser apresentado deve considerar que somos um país continental, com diversas culturas, uma base humana jovem e bolsões de tecnologia, riquezas e também uma péssima distribuição de renda.

FILOSOFIA DO PROJETO DE NAÇÃO

São tempos modernos e o salto quântico nos remetera a caminhos inexplorados, mas necessários. Temos que avançar e nos inserir como uma Nação desenvolvida no cenário internacional e internamente e definitivamente ordenar nossa economia. Acolher o indivíduo para que possa ascender a cidadania primeiro passo de uma sociedade democrática e organizada.

Quem volta na erra caminho, e o caminho correto é o que vem da filosofia, que antecede os ismos (diversas ideologias).

O ser humano no topo da cadeia alimentar sempre será pelo PCP o eixo das transformações. Dentro deste contexto: SOBREVIVER, passa ser a diretriz primaria da vida e uma obrigação do estado de acolher o indivíduo. CONVIVER, é uma exigência da sociedade democrática. PROSPERAR é unicamente uma opção cidadã. As circunstâncias sempre determinarão o acolhimento, o mérito e o êxito deste triplo olhar.

O PCP constrói o seu dogma filosófico representados a partir da interpretação hermenêutica de duas palavras:

DIGNIFICANTE – O servidor público eleito ou concursado, tem que ter dignidade para execer no trato da coisa pública.

EFICIENTE– O servidor público eleito ou concursado, tem que ser eficiente no trato da coisa pública.

 A reforma constitucional que propomos precisa de razão e a lógica o que hoje não existe, não podem ser petrificadas, pois o avanço da tecnologia, exige as adequações necessárias para uma sociedade em eterno movimento.

CONSTITUIÇÃO

Nada avançara se não começarmos cortando a própria carne. Isto significa o que? Temos que sair da zona ultra confortável do poder encastelado ausente das discussões da coisa pública.

Chamar uma Constituição representa ausentar-se dos conceitos ultrapassados e buscar a inovação. Sem copiar a estrutura de outras nações sem o vagar necessário para o discernimento das questões fatiadas em segmentos específicos. Temos que encontrar o nosso próprio caminho. Nos parece que engessar uma constituição próximo do domínio quântico seja um suicídio. Só nos resta então criar uma Constituição Conceitual, com a separação dos poderes (antidoto único para a corrupção), que funcione independentemente, autônomo e harmoniosos entre estes, e ainda assim criamos mais dois poderes para equilibrar duas parcelas da sociedade hoje sem o abrigo legal para defesa inconteste deste sendo eles, o poder: Social e Econômico. Hoje jogados a própria sorte.

Ainda em tempo, a constituição deve considerar os pilares da dignidade humana: DIGNIFICANTE (onde a honra deve estar presente a tudo), e a EFICIENCIA (A eficiência começa na cultura, passa pela educação e se curva ao estado da arte),fruto do estágio do desenvolvimento da cultura humana ao longo de milhares de anos, que começou no domínio do “Fogo”.

Os desafios para o assentamento do texto serão enorme, deve ser escrito com constituintes naturais (deputados federais) convocados especificamente para este ato e destituído do pleito, logo após a sua promulgação em voto direto pelo povo brasileiro, em que seus tópicos serão apresentados em três versões de múltipla escolha e ainda,  ampliado com representantes de toda a sociedade organizada em dois terços dos estados federados.

EXTINÇÃO

Propomos a extinção de instituições governamentais: todos os ministérios, fundações públicas, autarquias, as policias: militares e rodoviária, bancos estatais, empresas: públicas e mistas e toda a atividade visando lucro.

RECEITA FEDERAL

É nesta instituição o exemplo de maior incompetência e inconsequência da Federação, exemplificado pelo ato da DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA OBRIGATÓRIO. A receita federal está atrasada e a excelência que deveria ser normal e exemplas para as demais instituições públicas (afinal é esta instituição a única responsável pela arrecadação da federação), lá sequer é praticada ou lembrada, uma vergonha nacional. A reengenharia administrativa aqui tem que ser aplicada à risca da Universidade de Harvard (uma vez que ocupamos no ranking internacional a 734º posição (Unicamp) e ainda na medida da Ipa instituição que mede a nota média com 38 para nós brasileirinho contra 100 a 99,5 dos americanos, ingleses e franceses).

Qualquer presidente eleito tem a obrigação de dar uma atenção especial a única fonte de renda aceitável á “LOJINHA”, a arrecadação, o caixa, o dinheiro público. Se o servidor público (Presidente), ainda que, eleito pela a maior parcela do povo, não pode deixar a receita federal a deriva de uma fiscalização, sobe pena do crime de PREVARICAÇÃO.

REENGENHARIA ESTRUTURAL DA GESTÃO PUBLICA

Para efetivamente implantarmos o que apresentamos neste manifesto, precisaremos do convencimento das pessoas, e não podemos tentar convencer a partir do atacado, ou seja, não podemos perder tempo na discussão genérica de todas as ações propostas.  Temos que ser profissionais, convencimento, apresentando fatos e argumentos corretos. O que propomos realisticamente, é a extinção de todos os ministérios do nada (HOJE FONTE DE BARGANHA POLITICA PARA O CONLUIU ENTRE OS PODERES), e a execução administrativa, eficiente, a partir de cinco poderes (Social, Econômico, Legislativo, Judiciário e o Executivo), este último representa a Federação no sistema presidencialista).  Representarão o estado, reorganizados responderão por todas as necessidades da máquina governamental de forma vertical. Sendo o primeiro

ato anticorrupção. 

A federação deve devolver aos estados (seu patrão), toda a estrutura usurpada destes, imediatamente, inclusive a autonomia: econômica, financeira, previdenciária, fiscal, educacional, saúde e social

PODERES

Poder Social Guardião das garantias individuais. Este poder se manterá a partir de taxas impostas e oriundas das diversas instituições que estarão sobre suas normas e funcionamento a saber: Sindicatos, Centrais de trabalhadores, Conselhos, Fundações, Ordens e Instituições sem fins lucrativos.

Poder Econômico – Guardião das atividades econômicas. Este poder se manterá a partir de taxas impostas e oriundas das diversas instituições que estarão sobre suas normas e funcionamento a saber: INPI, Agencias de fomento, Exportação, Importação, Bancos, Financeiras, Securitários, Banco Central, Instituições patronais e o ordenamento de todas as atividades econômicas: primárias, secundarias e terciárias.

Poder Legislativo – Guardião da vontade do Povo.  Este poder se manterá a partir de um percentual da cobrança do imposto de renda que redistribuirá de forma proporcional a arrecadação a todas as instancias legislativas. Atuando como legislador das leis e fiscais do erário público.

Poder Judiciário – Guardião da Constituição. Este poder se manterá a partir de taxas impostas e oriundas das diversas instituições que estarão sobre suas normas e funcionamento a saber: cartórios, emolumentos jurídicos, tribunais arbitrais, presídios federais

Poder Executivo – Guardião dos Estados Federados e da Eficiência na gestão da adm. Pública. Este poder se manterá unicamente e exclusivamente da cobrança o Imposto de Renda. Os impostos dos estados e municípios serão criados por estes, mas cobrados pela federação e imediatamente em tempo real transferido para a unidade geradora para que a federação possa anular o ato declaratório de imposto de renda e com o encontro de números saber e poder cobrar os seus devedores.

Todas as pessoas físicas ou jurídicas pagarão impostos, as isenções estaduais e municipais de qualquer origem ou gênero, terão que recolher de seus erários o valor a instancia superior.

As pessoas físicas sem renda alguma, terão seus débitos ainda que simbólicos acumulados e quando registrado as condições para o pagamento será cobrado pela união.

TEMAS QUE PRECISAMOS ESGOTAR A DISCUSSÃO

Uma militância aguerrida, tem importância em qualquer campanha política. No caso do PCP, nosso partido, a polemica começa já no nome para o desespero de comunistas e outras cores ideológicas, pois a palavra CAPITALISTA, para estes “esquerda festiva“ soa como um sacrilégio, pois aprenderam errado> Para Alvin Toffler, um dos maiores escritores cita em seu livro: O ANALFABETO DO SECULO 21, É AQUELE QUE NÃO ACEITA DESAPRENDER PARA REAPRENDER.

Ser capitalista por nós, é entender e acreditar que todos podem ser prósperos, que esta opção é individual, somente sua. O que incomoda aos comunistas, fascistas, e outros é que para se ser capitalista em primeiro lugar tem que ser competente, disciplinado.

Ser popular, significa dentro de nosso contexto a abertura do capitalismo para todos. Todos podem e devem optar pela prosperidade. Do Camelo ao Banqueiro ambos têm que ter a mesma oportunidade em uma sociedade verdadeiramente democrática.

O binômio, Capitalismo Popular, representa então a defesa inconteste das oportunidades iguais, e vai no fundo do profundo na discussão do Capital da Coisa Pública, que hoje é proibida. O simples questionamento de onde vai o dinheiro público, o nosso dinheiro. O PCP, exige que o dinheiro publico deve ser transparente e em tempo real acessado. Não é possível que o dinheiro nosso, seja roubado ou delapidado na maior cara de pau.

Os argumentos da militância terão que ser sustentados por fatos comprovados e sempre mostrando o caminho que propomos.  Para tal separamos 16 temas que iremos. Repetir até que os nossos militantes saibam de cor, este dever de casa, repetir até que encontremos o eleitor atingido pela proposta, repetir até que cada eleitor compreenda. E repetir, repetir, repetir até a vitória 2022.

AJUDA SOCIAL

Vários equívocos administrativos testemunhamos diariamente em todas as esferas governamentais.Mas a que mais salta os olhos são os falsos programas sociais, são fartos em desvios e vícios institucionais. Um verdadeiro festival de vaidade.

O governo federal não pode e não deve assistir fora de catástrofe e ainda assim somente aos Estados Federados e estes aos Municípios e aí sim o município é que deve assistir individuo necessitado ou o cidadão acometido. E ainda assim com tempo que não pode exceder sem autorização legislativa o prazo de 12 meses.

O Individuo ou Cidadão, NASCE, CRESCE E MORRE no município. A mão que dar tem que cobrar e ser cobrada. Hoje o governo federal em ótica míope quer alcançar o cidadão, mas não tem nenhuma competência da aplicalidade da gestão para tal. Estudos mostram que 46% destes recursos não chegam aos seus destinos. ISTO É DINHEIRO PUBLICO INDO PARA O RALO DA INCOMPETENCIA.

REORGANIZAÇÃO DOS CARGOS ELETIVOS NA INSTACIA FEDERAL

OsPoderes a serem constituídos: exceto o poder executivo (Presidente da Republica que continuara ser eleito pelo voto universal e secreto), os demais somente serão indicados em uma lista tríplice por todos os servidores do órgão e referendado pelo voto popular que terá que ter 51% dos votos validos.

Senado FederalPrecisamos rever os cargos eletivos e criar outros.  Como pode o menor estado Federativo ter o mesmo numero de Senadores (3). Roraima tem 514.000 mil pessoas e três Senadores mais três vices senadores, Já São Paulo com seus 44.000.000 tem também os mesmos números de Senadores (3). Tem algo de podre no ar. Alguns críticos logo dirão, que este representa o Estado e não a população. Mas como defender um estado do tamanho de São Paulo com problemas enormes, deveria considerando o número da população ter no mínimo 25 senadores.

INSERÇÃO DOS CARGOS ELETIVOS NA INSTANCIA MUNICIPAL

Comandante de polícia, procurador municipal, ouvidor, juiz de menor e defensor público – Serão eleitos por voto direto em conjunto com o pleito municipal. O Comandante de Polícia, comandara a Policial Municipal em regime de CLT, com a função de policiamento ostensivo e patrimonial. Os delitos serão encaminhados para as delegacias regionais, que ficarão a cargo da polícia estadual.

IDH & DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

IDH – Deve ser um índice perseguido por todas as instancias e instituições governamentais.

Desenvolvimento – Todo o desenvolvimento será fruto de diversas ações, aqui abordadas, mas elas se darão de forma natural na medida que os estados tomarão as rédeas de seus destinos. O recuo da intervenção e a estatização da economia será certamente as ferramentas mais eficazes para o mercado.

INSERÇÃO CIBERNÉTICA

 O Governo Federal tem que liderar, e implantar uma rede de internet de altíssima qualidade administrada por concessão de empresas privadas brasileiras. Interligando todos os municípios do Brasil. Prioritariamente ligando todas as instituições públicas. Secundariamente estender o acesso a empresas privadas que necessitem do acesso a internet. 

COMBATE AS DROGAS

Será criada uma força tarefa de inteligência (birô de informações) especifica para este setor de onde será coordenada todas as ações. O Controle de fronteira ficará a cargo da instituição de Guarda Fronteira (força auxiliar das Forças armadas a ser criada), que fara o serviço ostensivo. A Policia Federal fara o trabalho investigativo e a repressão as ações delituosas. 

EDUCAÇÃO

O ensino público pré-escolar, fundamental, técnico e universitário, serão administrado pelos municípios com bolsas de estudo alcançados pelo princípio meritório, com os recursos proporcionais do fundo de participação educacional estadual. E serão ministrados pela rede privada. 

HABITAÇÃO

Todos os programas habitacionais serão desenvolvidos com fundo na ordem de 50% do lucro dos Bancos Estaduais, mas terão que ter o aval das Prefeituras Municipais.

INDENIZAÇÃO AO POVO BRASILEIRO

Plano Candido – O plano de Indenização ao povo Brasileiro (pelos serviços não prestados), inicia a partir da venda de todas as instituições e imóveis do governo federal. Todos os recursos alcançados se concentrarão em um fundo com execução de 150 anos de aplicação e responsável pelos recursos destes e de seus pagamentos.

LEGALIZAÇÃO DOS JOGOS E CASINOS

Legalização de todos Jogos de Probabilidade, a partir da criação da Agencia de controle de jogos. Setenta por cento das rendas oriundas dos jogos serão proporcionalmente transferidas para o fundo estadual de ensino educacional a partir de rede privada de ensino. Todos os cassinos são obrigados a ter lugar apropriado para apresentação de artistas e desportistas.

REORGANIZAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS

Extinto o serviço militar obrigatório. As forças armadas, serão transformadas em forças armadas profissionais, reequipadas em todos os seus níveis na busca da excelência. Serão criadas três forças auxiliares, prioritariamente com pessoal dispensado por tempo de serviço, compulsório, ou dispensado, aproveitando os investimentos públicos de seus adestramentos. O corpo das guardas terão equiparação aos militares da ativa em regime de CLT e poder de polícia.

Guarda Marítima – Seu treinamento e controle será efetuado pela Marinha, atendendo as necessidades da Policia Federal.

Guarda Fronteira – Seu treinamento e controle, será efetuado pelo Exército, atendendo as necessidades da Policia Federal.

Guarda Aérea – Seu treinamento e controle será efetuado pela Aeronáutica, Atendendo as necessidades da Policia Federal.

REORGANIZAÇÃO DAS POLICIAS

 As policias representam o cumprimento das leis imposta pelo estado, fruto do acatamento Constituição e suas Leis.  Responsáveis pela investigação prisão e guarda dos delinquentes indiciados em inquéritos e apresentando denuncia a promotoria pública e condenados.  Criação das Policias Estaduais e Municipais por regime de CLT.

REORGANIZAÇÃO DA FEDERAÇÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS

Federação – A federação faliu, os Estados, e todas as suas instituições. Sendo assim precisamos ordenar os marcos regulatórios da representação federativa. A federação tem que entender que o estado é o seu patrão, e sendo assim a federação deve ser restringida de responsabilidades que nãos lhes cabe (este processo de monopólio se iniciou na revolução de 1964 e até hoje prevalece). Um verdadeiro desvio de função, conluio e prevaricação. Dentro do contexto apresentado por este manifesto, que se inicia com uma nova constituição e a separação dos poderes. 

Devolver todos os bens e autonomia (legislativa, econômica, financeira, educacional, saúde, social e assistencial e outros, aos estados como ato de desenvolvimento. Qualquer instituição que venha ser criada nos estados com fins lucrativos, não poderá ser socorrida pela União e seus gestores responderão pelos seus atos.

Representar os estados como uma verdadeira Federação de Estados e não como simples unidades para seus caprichos dos seus mandatários.

Integrar os Estados de forma a auxiliar os seus desenvolvimentos sem intervir nas suas vontades. Atuando como arbitro das demandas sem impor a sua vontade fora da constitucionalidade.

Concessão – Extinto todo tipo de concessão que explore atividade econômica.

SAÚDE

 A assistência médica será praticada, a todos os cidadãos e turistas, pela iniciativa privada e paga pela prefeitura do Município do residente com os recursos oriundos do fundo estadual de saúde.

MODAIS

Agencia de Controle de Modais Estaduais – Ordenarão e fiscalizarão das linhas. Encerra-se o princípio concessórios. A demanda proporcionara a maior participação privada, uma vez, comprovada a capacidade técnica e econômica.

Rodoviário de Passageiros -Os passageiros somente poderão ser transportados sentados. Nenhum transporte alternativo poderá circular fora do Município. As passagens serão efetuadas a partir de cartão próprio ou virtual. Serão administrados pelo consórcio das transportadoras, e uma passagem válida para diversos modais sem cobrança adicional dentro do Município.

Ferroviário – Será construído um programa de expansão ferroviária divididos em duas frentes (passageiros e de carga). Todas os leitos ferroviários serão reativados, garantido o direito de passagem de qualquer trem habilitado para o trafego. A rede será de gestão estadual e a federação garantira a integração.

Marítimo – Será construído um programa de expansão marítima divididos em duas frentes (passageiros e de carga). Intensificada, o transporte de cabotagem e os transportes de passageiros em lagoas e Rios.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A este foi dado o nome de MANIFESTO AOS INVISIVEIS, E por que? Consideramos que a identificação pelo sistema, de socorro federal como auxilio, frente a paralização praticamente da NAÇÃO, exigência ao combate a Pandemia, um fato relevante, pois somando-se ao contingente que já recebia o auxílio “Bolsa Família” (estes chegam a marca de 80.000.000 de brasileiros desassistidos). Ainda que muitos trabalhem de forma não ilegal do ponto de vista jurídico. Estes brasileiros somados aos mais afortunados e que se identificam com o nosso PROJETO DE NAÇÃO, proposta de nosso partido, rogamos que passem a ser militantes nosso. O destino da NAÇÃO está nessas mãos, nas nossas mãos.

Este documento foi elaborado ignorando o politicamente correto, se expondo a trazer a discussão pública, temas polêmicos sim, mas jamais complexos como os poderosos na zona de conforto, NOS FAZEM PENSAR, não tem nenhum interesse em sair e nem discutir o dinheiro público mal-empregado. Mas a fome é o maior ato de violência. será que teremos que aguardar uma guerra civil que nos espreita (o morro, as palafitas, as “comunidades” dominadas pelo trafico e pelas Milícias armada até os dentes).

Não acreditamos que o BRASIL não tenha jeito, o Brasil tem jeito sim, mas depende de nós, depende de nossa militância, e eu confio nesta militância, na sensatez, na razão e na lógica, na Dignidade e na Eficiência. Só assim alcançaremos a vitória em 2022.

Agenor Candido Gomes

Presidente da comissão organizadora do PCP

01 de janeiro de 2021